Multigastro, Author at Multigastro

Mitos e Verdades sobre a Endoscopia Digestiva

Fazer endoscopia dói – MITO O exame é feito com uma sedação venosa suficiente para fazer o paciente dormir e ter um exame confortável, além de um analgésico na garganta. É necessário ir acompanhado no dia da endoscopia – VERDADE A medicação usada na sedação pode diminuir os reflexos por algumas horas após o exame, é imprescindível um acompanhante. O paciente não deve dirigir ou operar máquinas após a endoscopia. Não é possível se alimentar após o exame – MITO Assim que esteja bem acordado e sem dormência na garganta, o paciente pode comer normalmente. Grávidas não podem fazer endoscopia – MITO Desde que haja indicação formal de um especialista, a mulher grávida pode fazer endoscopia, com segurança, preferencialmente a partir do segundo trimestre da gestação. A Multigastro realiza Endoscopias Digestivas de segunda à sexta, inclusive à noite, das 18h às 21h, na unidade Recife. Informações e agendamentos: (81) 3316.5800.... Leia Mais

Doença celíaca pode ser identificada pela endoscopia

A doença celíaca é uma desordem autoimune caracterizada pela inflamação crônica da mucosa do intestino delgado, causada pelo glúten, proteína presente no trigo, aveia, centeio, cevada e malte. Esta inflamação pode resultar em má absorção intestinal e provocar sintomas como diarreia crônica, anemia, vômitos, dores, entre outros. O diagnóstico da doença pode ser feito através de exame de sangue, que avalia a presença de substâncias associadas a alergias, mas, apesar de sensível, não oferece um diagnóstico conclusivo, sendo necessário realizar uma Endoscopia para confirmar a condição no paciente. PROCEDIMENTO Durante o procedimento, o endoscópio é inserido pela boca até chegar no início do intestino delgado. Além de visualizar todo o trajeto, o instrumento poderá colher pequenas amostras da mucosa para realizar biópsia do duodeno e obter a confirmação da presença da doença. Caso a doença seja confirmada, o tratamento é feito eliminando o glúten da alimentação por toda a vida, sendo o paciente orientado a deixar de ingerir alimentos como farinha de trigo, pães, macarrão, biscoitos, bolos, entre outros. Se não tratada, a doença celíaca pode levar a graves complicações. DIAGNÓSTICO A Endoscopia é a melhor maneira de diagnosticar a doença celíaca. A Multigastro realiza Endoscopias Digestivas de segunda à sexta, inclusive à noite, das 18h às 21, na unidade Recife. Informações e agendamentos: (81)... Leia Mais

Você sabe a diferença entre gastrite e úlcera?

Dores abdominais constantes, queimação e indigestão são sintomas que indicam problemas no trato digestivo. Esses incômodos são popularmente relacionados à gastrite e úlcera, por serem doenças gástricas com sintomas parecidos, mas que possuem causas e intensidades diferentes, e, por isso, merecem atenção e cuidados diferenciados do seu médico. A gastrite é uma inflamação da parede que reveste o interior do estômago. Pode ser causada por ingestão excessiva de alimentos gordurosos, álcool, café, refrigerantes e alimentos muito ácidos, infecção pela bactéria H. pylori, uso constante de medicamentos analgésicos, uso de drogas, entre outros. Seu tratamento é feito com medicamentos que diminuem a acidez do estômago (inibidores da bomba de prótons), além da correção de eventual erro alimentar ou uso inadvertido de alguns comprimidos. Já a úlcera é uma ferida na parede do estômago com maior profundidade que a gastrite, o que pode causar dor e desconfortos mais intensos. A causa mais frequente do surgimento das úlceras é a bactéria H. pylori, seguida pelo uso de medicamentos anti-inflamatórios. Seu tratamento também é feito com medicamentos que diminuem a acidez do estômago (inibidores da bomba de prótons), além de antibióticos para erradicar o H. pylori, caso presente. Em casos mais graves, podem ocorrer sangramentos e perfurações, o que exige intervenção endoscópica de emergência para o tratamento. DIAGNÓSTICO A Endoscopia Digestiva é a melhor maneira de diagnosticar e diferenciar gastrites e úlceras. A Multigastro realiza Endoscopias de segunda à sexta, inclusive à noite, das 18h às 21, na unidade Recife. Informações e agendamentos: (81)... Leia Mais

Os cuidados da gestante ao fazer Endoscopia Digestiva

A mulher grávida, se tiver indicação de um especialista, pode fazer endoscopia, mas alguns cuidados devem ser tomados. Por ser um considerado um exame invasivo, a presença do feto na barriga exige atenção especial, portanto, o procedimento só deve ser realizado em último caso, quando a gestante apresentar sintomas alarmantes, como dor abdominal intensa, vômitos constantes ou sangramento gastrointestinal. O exame não é não é prejudicial ao bebê nem à mãe, mas exige a administração de medicamentos sedativos, que, quando feita incorretamente, pode fazer mal ao feto. A presença de um anestesista é importante para assegurar a saúde de ambos. Além disso, o jejum deve ser respeitado à risca pela mãe, para evitar refluxos ou aspiração do conteúdo gástrico durante o procedimento, já que o útero estará ocupando uma grande parte da cavidade abdominal. Apesar da liberação, a realização da endoscopia é indicada preferencialmente a partir do segundo trimestre da gravidez, quando os riscos são menores, sendo imprescindível que a paciente informe a condição de gestante ao médico ou profissional presente, antes da realização do exame. Caso sinta dores ou incômodos após o procedimento, a mãe deve procurar um médico especializado. A MultiGastro realiza Endoscopias Digestivas em gestantes e pacientes em geral, inclusive à noite, na unidade Recife. Informações e agendamentos, ligue: (81)... Leia Mais

Balão Intragástrico: quando colocar?

O desejo de emagrecer tornou-se cada vez maior nos dias atuais, onde a busca pelo corpo perfeito está em evidência nas redes sociais. No entanto, a indicação do balão intragástrico deve ser reservada para os casos de obesidade ou sobre-peso onde há prejuízo à saúde do paciente. Esse procedimento reduz a capacidade do estômago, provoca a perda de apetite e aumenta a saciedade, auxiliando no emagrecimento. Adolescentes, idosos ou jovens que não estejam classificados como obesos, de acordo com o Índice de Massa Corpórea, o IMC, são indicados a procurar métodos menos invasivos para emagrecer. A inserção do aparelho é feita através da Endoscopia: com o paciente anestesiado ou sedado, o balão entra vazio pela boca, passa pelo esôfago e chega ao estômago, onde é inflado com soro fisiológico e azul de metileno para identificar quando ele se rompe. Quando isso acontece, a urina sai azul ou esverdeada, indicando que houve um problema. O balão provoca a distensão do fundo do estômago e encosta na parede gástrica, estimulando receptores que avisam ao cérebro que a pessoa está saciada mesmo tendo comido menos que o habitual. Por ser um tratamento temporário e não definitivo – o paciente fica com o balão no organismo por um período que pode variar de seis meses a um ano -, é considerado um estímulo para o emagrecimento, e deve ser aliado a boa alimentação e práticas saudáveis. A média de perda de peso ao final do processo é de 15 a 20% do peso inicial. O tratamento é indicado para pacientes obesos e que já tentaram outras formas de emagrecimento sem resultados satisfatórios, como dietas,... Leia Mais