abril 2017 - Multigastro

Você sabe a diferença entre gastrite e úlcera?

Dores abdominais constantes, queimação e indigestão são sintomas que indicam problemas no trato digestivo. Esses incômodos são popularmente relacionados à gastrite e úlcera, por serem doenças gástricas com sintomas parecidos, mas que possuem causas e intensidades diferentes, e, por isso, merecem atenção e cuidados diferenciados do seu médico. A gastrite é uma inflamação da parede que reveste o interior do estômago. Pode ser causada por ingestão excessiva de alimentos gordurosos, álcool, café, refrigerantes e alimentos muito ácidos, infecção pela bactéria H. pylori, uso constante de medicamentos analgésicos, uso de drogas, entre outros. Seu tratamento é feito com medicamentos que diminuem a acidez do estômago (inibidores da bomba de prótons), além da correção de eventual erro alimentar ou uso inadvertido de alguns comprimidos. Já a úlcera é uma ferida na parede do estômago com maior profundidade que a gastrite, o que pode causar dor e desconfortos mais intensos. A causa mais frequente do surgimento das úlceras é a bactéria H. pylori, seguida pelo uso de medicamentos anti-inflamatórios. Seu tratamento também é feito com medicamentos que diminuem a acidez do estômago (inibidores da bomba de prótons), além de antibióticos para erradicar o H. pylori, caso presente. Em casos mais graves, podem ocorrer sangramentos e perfurações, o que exige intervenção endoscópica de emergência para o tratamento. DIAGNÓSTICO A Endoscopia Digestiva é a melhor maneira de diagnosticar e diferenciar gastrites e úlceras. A Multigastro realiza Endoscopias de segunda à sexta, inclusive à noite, das 18h às 21, na unidade Recife. Informações e agendamentos: (81)... Leia Mais

Os cuidados da gestante ao fazer Endoscopia Digestiva

A mulher grávida, se tiver indicação de um especialista, pode fazer endoscopia, mas alguns cuidados devem ser tomados. Por ser um considerado um exame invasivo, a presença do feto na barriga exige atenção especial, portanto, o procedimento só deve ser realizado em último caso, quando a gestante apresentar sintomas alarmantes, como dor abdominal intensa, vômitos constantes ou sangramento gastrointestinal. O exame não é não é prejudicial ao bebê nem à mãe, mas exige a administração de medicamentos sedativos, que, quando feita incorretamente, pode fazer mal ao feto. A presença de um anestesista é importante para assegurar a saúde de ambos. Além disso, o jejum deve ser respeitado à risca pela mãe, para evitar refluxos ou aspiração do conteúdo gástrico durante o procedimento, já que o útero estará ocupando uma grande parte da cavidade abdominal. Apesar da liberação, a realização da endoscopia é indicada preferencialmente a partir do segundo trimestre da gravidez, quando os riscos são menores, sendo imprescindível que a paciente informe a condição de gestante ao médico ou profissional presente, antes da realização do exame. Caso sinta dores ou incômodos após o procedimento, a mãe deve procurar um médico especializado. A MultiGastro realiza Endoscopias Digestivas em gestantes e pacientes em geral, inclusive à noite, na unidade Recife. Informações e agendamentos, ligue: (81)... Leia Mais